quarta-feira, 9 de julho de 2014




 COLETÂNEA COLETIVA - LANÇAMENTO NA VIGÉSIMA TERCEIRA BIENAL DE SP


Entraram poemas meus em uma coletânea de poesia da editora paulista Delicatta. Esse livro será lançado na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, dia dia 23/08 a partir das 18h. Estande G 699 (Editora Delicatta). Autografarei por lá. Um dos  poemas meus nesse livro segue abaixo:


ALFABETO DO EDUCADOR

Amor nas agulhas de dor
Barcos à vela de papel jornal
Ciranda de ideias
Degraus de saber
Emaranhado de sonhos
Fios de esperanças
Giros ao sol
Há de existir
Ideias a mais para
Juntar os retalhos
Leituras e imaginação
Minutas de versos
Navios no Atlântico
Opulentas mensagens
Penhascos transpostos
Quimeras soltas no ar
Raios de luz a cruzar
Sementes de sonhos encantar
Teimosia esperança suportar
Utopias e crenças costurar
Vivências tristes a superar
Eis o X da questão!
Pois nada, nem ninguém, retira de mim
De “nós”, amarrados em nós,
Esta gravidez de sonhar!
Liz Rabello



COLETÂNEA COLETIVA - LANÇAMENTO NA VIGÉSIMA TERCEIRA BIENAL DE SP

Tenho um conto com dois poemas na Coletânea CAFÉ COM VERSOS, da Editora Paulista Delicatta. Esse livro será lançado na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, dia dia 30/08 a partir das 17h. Estande G 699 (Editora Delicatta). Autografarei por lá. 


LAÇOS DE AMOR


Há sempre um ponto

Uma encruzilhada 

Um banco
Uma esquina 
Um lance de olhar
Uma gota de orvalho
Uma luz ao luar
Uma fonte a jorrar 
Uma chuva constante 
De lindas notas musicais 
Onde o amor está!

Liz Rabello



NA SEQUÊNCIA (ÀS VINTE HORAS) LANÇAMENTO DO MEU PRÓXIMO LIVRO SOLO: "AMOR À PRIMEIRA LAMBIDA"...




E VENDA DE MEUS LIVROS ANTERIORES: "INTERVALOS" 

(Livro de Contos...Entre códigos cifrados, bruxas voadoras, precipícios, milagres, amores perdidos, eternos, impossíveis, Liz Rabello revela sua coragem, sensibilidade, seu amor ao próximo, à natureza, aos animais, aos seus familiares, à vida e a sabedoria que esta lhe proporcionou. Entre um e outro conto, nos brinda com “INTERVALOS” poéticos que amarram a narrativa, como se fossem um aperitivo, antes de saborear o próximo conto. E nos deixa a certeza de que entre a metamorfose e o voo é possível ser feliz.)




E "MIL PEDAÇOS



"Me fiz em mil pedaços

Pra você me decifrar

E de novo me montar
Quebra cabeça de desejos
Paixões desnorteadas
Estilhaços de esperanças
Paredes quebradas
Jogos de faz-de-conta
Vazios nos cantinhos Invisíveis do olhar! 

Liz Rabello



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você pode comentar...