terça-feira, 15 de abril de 2014


FRAGMENTOS DE MEUS POEMAS... POESIA DE BANDEJA
“Você sempre me disse do afeto que nos une
Agora, a gente vai se abraçar por palavras
E você sempre vai saber que é real!

Porque sentimentos não morrem como plantas

que secam sem o bálsamo da água

Sentimentos possuem lágrimas
para serem regados no coração!”
Liz Rabello
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
“Há algo de mágico em ti
É inusitado este sentir
Novo modo de ver
Corpos entrelaçados
Cavalgando estrelas
Roubando fios de água
Suor do universo
Em corpos nus!”
Liz Rabello
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.
“Vou libertar meu coração
Ao sabor deste vento
Raptar a corrente de energia
Que vem da montanha
Captar o cheiro de ciprestes
Perfume exalando prazer
Quem sabe se leva até ti
Meus desejos por você!”
Liz Rabello
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
“Sons, sons... Pra que te quero?
Se silêncios são bem vindos
Mas cantigas são ternuras
Cristais a se roçar no infinito
Transmuta minha solidão
Em doces anéis a se cruzar
Nas pautas musicais!”
Liz Rabello
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
“No picadeiro o palhacinho
cria uma teia encantada
Pernas de pau, nariz redondo,
carinha pintada, Malabares desencontrados
Quando fogo e bolas desabam pelo chão
E gargalhadas mil fluem da multidão!”
Liz Rabello
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.
“Fissura imperceptível
Entre loucura e retidão
Hipocrisia e solidão
E tanto mais bruxas me varrem
Sofrimento, mais roupas me vestem
De tormentos, mais chuvas de dor
Me apunhalam em turbilhão!”
Liz Rabello
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
“Que venham recentes alegres memórias 
Mandando embora ares poluídos d'outrora 
Tempestades riscadas por outros encontros 
Relíquias esquecidas de folhas viradas”
Liz Rabello

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você pode comentar...