sábado, 28 de dezembro de 2013



MINHA ÁRVORE DOS SONHOS

Tem um sabor agreste
Verde oliva azul celeste
Gotas de arco-íris em luz
Bolhas de ilusão no meu capuz

Tem um sabor de eternidade
Algo que transmuta realidade
Mudanças de estado, verdades
Erros de egos, status de vaidades

Tem sabor de alegorias
Luzes claras de alegrias
Sons suaves de euforias
Canções em doces melodias

Minha árvore dos sonhos
É assim: água corrente
Nas manhãs incandescentes
Abraçando sol lua paz nascentes

(In APANHADOR DE SONHOS, de Liz Rabello, a ser publicado em 2014)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você pode comentar...